Depois da prisão da alta cúpula do transporte no Rio, os deputados da oposição
finalmente conseguiram as assinaturas necessárias para abrir uma CPI para
investigar a máfia da Fetranspor. Mas, aos 45 do segundo tempo, seis deputados
voltaram atrás e retiraram as assinaturas, impedindo que a comissão fosse
instalada. Precisamos pressioná-los a voltar atrás e apoiar de novo a comissão.

Deputados, não retirem a assinatura da CPI da Fetranspor!

Quem você vai pressionar (6 alvos)
    Como funciona?
    1. Estamos ligando para o seu alvo
    2. Assim que alguém atender do lado de lá, vamos te ligar
    3. Quando você atender, conectamos as ligações
    4. Agora é com você!

    0
    querem que os deputados não fujam da Fetranspor


    No dia 3 de julho, a Polícia Federal prendeu o empresário Jacob Barata Filho (herdeiro do "rei dos ônibus" no Rio), o presidente da Fetranspor, Lélis Teixeira, e outros membros da alta cúpula de transportes do estado. Eles são acusados de pagarem propina no valor de R$ 260 milhões a vários políticos fluminenses.
    Com isso, os deputados de oposição finalmente conseguiram assinaturas suficientes para abrir uma CPI na Alerj e investigar a máfia dos ônibus no Rio. Mas, aos 45 do segundo tempo e numa manobra ilegal, seis deputados (Jânio Mendes, Luiz Martins e Zaqueu Teixeira, do PDT, e Jorge Felippe Neto, Marcia Jeovani e Milton Rangel, do DEM) retiraram as assinaturas e impediram que a comissão fosse instalada.
    Precisamos de 24 assinaturas para tirar a CPI do papel. Com o recuo, temos 21. Ou seja, basta que 3 dos 6 fujões sejam convencidos a assinar novamente o requerimento para que as investigações comecem. Se a Fetranspor pressiona de um lado, nós pressionamos do outro. Os ônibus tem dinheiro; a população, o voto. E, ano que vem, todos serão candidatos e terão que prestar contas ao eleitor.
    Por isso, vamos enviar uma enxurrada de emails de pressão aos seis deputados exigindo que assinem novamente da CPI da Fetranspor. A caixa-preta dos ônibus precisa ser aberta!






    Jânio Mendes (PDT)
    Luiz Martins (PDT)
    Zaqueu Teixeira (PDT)
    Jorge Felippe Neto (DEM)
    Márcia Jeovani (DEM)
    Milton Rangel (DEM)


    Fontes


    contato@meurio.org.br
    POR QUE O MEU RIO ENTROU NESSA?

    Desde 2013 o Meu Rio acompanha o tema dos ônibus no Rio. Já nos mobilizamos pela CPI dos Ônibus e pela reabertura da Auditoria dos Ônibus, ambas emperradas pelas velhas raposas da política.

    Acreditamos que a abertura da caixa-preta dos ônibus é fundamental para desmantelar um dos maiores esquemas de corrupção do Estado. Uma CPI na Alerj pode ajudar muito nas investigações, já que uma das principais funções dos deputados é justamente fiscalizar o uso do dinheiro público.